Com o tema “Que vergonha, Bradesco!”, diretores do Sindibancários (Sindicato dos Bancários Extremo Sul da Bahia) realizaram nesta terça-feira (23) uma manifestação de protesto contra as demissões promovidas pelo banco na unidade local e em toda a região.

Na avaliação do coordenador geral do sindicato, Moisés Vital, o impacto das demissões afeta a saúde dos bancários e prejudica as condições de trabalho, “pois as metas são cada vez mais abusivas e causam sofrimento aos clientes, principalmente aos aposentados e idosos.”

Ressalta Joelma Souza, diretora do Sindibancário, que o Bradesco acumula recordes de lucros. “É o reflexo do trabalho dos seus funcionários. Em troca, eles recebem assédio, desrespeito e falta de segurança”, afirma.

Em seu depoimento, o funcionário do banco em Porto Seguro, Tiago Amorim, relata que “o segredo do Bradesco para lucrar tanto, mesmo em um ano de pandemia, é cobrar metas abusivas de seus funcionários.” “O sofrimento físico e mental dos bancários está nas alturas. Trocar saúde por lucro é justo?”, questiona Tiago.

O sindicato ressalta que só no primeiro trimestre de 2021 o Bradesco lucrou 73,6% a mais do que no ano passado. No mesmo período, demitiu 8.547 bancários.

“Nos últimos 12 meses, o Bradesco fechou 1.088 agências. As pessoas que têm contas na instituição, agora, esperam em filas, que só crescem. Além das horas de espera, aumentou o deslocamento para chegar até lá, em especial para os mais pobres”, finaliza a entidade.

Fonte: Sindibancários

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário

SEJA UM PARCEIROWhatsApp do PrimeiroJornal (73) 99989-6889
Você repórter, seu espaço para participar com vídeos, fotos ou depoimentos