Acidente em Eunápolis com carreta de eucalipto deixou vários mortos e feridos
O acidente aconteceu por volta das 20 horas, na noite desta quarta-feira (29), no KM 703 da BR-101, em Mundo Novo, distrito eunapolitano, localizado há 15 quilômetros do centro de Eunápolis. A pista só foi liberada na manhã desta quinta-feira (30). A polícia está investigando o acidente.
Diógenes Neves de Jesus (38 anos) estava dirigindo a carreta que causou o acidente. Ele fugiu do local do acidente. Por meio de um advogado informou à polícia que deve se apresentar nesta sexta-feira (1º).
De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o caminhão bitrem ia em direção a Itabuna, quando um dos vagões – o último – tombou numa curva, se desprendeu e rodou na pista, atingindo uma van (com cinco passageiros) e um ônibus da Rota Transporte, da linha Itacaré/Porto Seguro. Na van, além do motorista, que era comerciante em Porto Seguro, também viajava a mulher dele, que não ficou ferida.
12 pessoas morreram e outras 14 ficaram feridas
Dentre as vítimas, 12 morreram e outros 14 ficaram feridos. Até a manhã desta quinta-feira (30), seis mortos já tinham sido identificados. Leandro Assunção Oliveira (40 anos, motorista do ônibus da Rota Transportes), Douglas Santos Silva (45 anos, motorisa da van), Maria das Dores Silva (66 anos, professora da rede municipal de Eunápolis), Raimunda de Souza Céo (73 anos, professora aposentada da rede estadual de ensino, que também morava em Eunápolis) e Célia Barbosa da Silva (63 anos, auxiliar de serviços gerais da Prefeitura de Eunápolis).
14 passageiros do ônibus estão internados no Hospital Regional de Eunápolis, três deles em estado grave. Outras três pessoas, também em situação crítica, estão hospitalizadas no Luís Eduardo Magalhães, em Porto Seguro.
A Rota transportes emitiu nota lamentando o ocorrido. A empresa aguarda a identificação das vitimas para informar os familiares. A carreta transportava madeira para uma carvoaria no suldoeste da Bahia, não pertence a Veracel que emitiu nota lamentando a tragédia.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário

SEJA UM PARCEIROWhatsApp do PrimeiroJornal (73) 99989-6889
Você repórter, seu espaço para participar com vídeos, fotos ou depoimentos