Operação da Polícia Federal, durante apreensão do veleiro transportando mais de duas toneladas de cocaína em águas litorâneas brasileiras
Dois moradores de Trancoso (Porto Seguro) e outros três de Alcobaça são os cinco tripulantes presos à bordo do catamarã Gucuçá Cat, transportando 2.216,5 kg de cocaína.
A ação conjunta contou com a participação da Polícia Federal e Marinha do Brasil, além da cooperação do Centro de Análise e Operações Marítimas/Narcótico (MAOC/N, sediado em Lisboa/Portugal), da Drug Enforcement Administration (DEA/EUA) e da National Crime Agency (NCA/Reino Unido).

Os cinco presos foram autuados em flagrante por tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico. A polícia manteve os nomes dos envolvidos em sigilo para não atrapalhar as investigações.
O catamarã Guruçá Cat, usado pelo grupo, rodou o planeta entre 2012 e 2016, vendido há quase um ano. Antigos proprietários lamentaram uso da embarcação para o tráfico de drogas.
O casal, Guta Favarato e Fausto Pignaton, navegou ao redor do planeta, com passagem por mais de 30 países, dentre os quais, Polinésia Francesa, Samoa Americana, Ilhas Salomão, Indonésia, Malásia, Tailândia, Madagascar e Moçambique.
Vivendo atualmente na cidade de Anchieta (ES), eles trabalham na construção de outra embarcação.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário