Mais de cem cidades brasileiras tiveram uma mudança brusca em suas rotinas diárias, desde o aparecimento da mancha de óleo, no litoral brasileiro. O crime ambiental gerou uma consequência inédita na história do país, pela extensão geográfica e pela duração no tempo.

Em Prado, no extremo sul da Bahia, o desafio de proteger os 84 quilômetros de praia vem sendo superado graças à iniciativa e participação da Prefeitura Municipal, ICMBio, Resex Corumbau, Colônia de Pescadores, Marinha do Brasil, empresários e voluntários.

A Marinha tem realizado vários sobrevoos, auxiliando no trabalho de monitoramento. Em Cumuruxatiba, voluntários se organizaram e já conseguiram conter o avanço dos resíduos em dois rios. Um terceiro rio vai receber contenção nesta terça-feira, dia 05, com o apoio de funcionários públicos.

O INEMA (Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, entidade do estado da Bahia) doou tonéis, botas de borracha, luvas nitrílicas, protetores solares, máscaras com filtro contra vapores químicos, máscara de pó com válvula e lonas pretas. Vários trabalhadores do Consórcio Construir estão percorrendo as praias, monitorando e limpando.

No entardecer desta segunda-feira, dia 04, os pontos com registro de aparecimento de resíduos de óleo já estavam completamente limpos, com praias lindas – como sempre foram – e próprias para o uso de banhistas e de pescadores. O material recolhido está sendo armazenado na Secretaria Municipal de Obras, em Prado.

Esse cenário é resultado do trabalho de monitoramento ininterrupto das praias, da criação de uma equipe, coordenada pela Prefeitura do Prado, devidamente equipada, de sobreaviso e de prontidão, além da coordenação de voluntários, que estão sendo cadastrados, previamente, para atuar, quando convocados, segundo logística e disponibilidade de uso dos EPI’s (Equipamentos de Proteção Individuais) e da força necessária de trabalho. A participação e a iniciativa do voluntariado tem sido muito importante.

Segundo a Prefeitura do Prado, Mayra Brito, “a adoção de estratégias tem sido fundamental para conseguir mapear, identificar e proteger todo o litoral do município e é, do Palácio do Turismo, que uma equipe coordena todas as ações para minimizar os impactos da mancha de óleo nas praias, além de manter atualizado o cadastro, a preparação e a proteção dos voluntários, atuantes nas frentes de retirada do material de nossas praias”, explicou.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário

- VOCÊ REPÓRTER - Envie fotos, vídeos e informações sobre o que você viu.
Whatsapp (73) 99989-6889 | Email: primeirojornal@hotmail.com