Exame da pressão ocular e avaliação do fundo do olho

Os atendimentos aconteceram nesta terça e quarta-feira, dias 15 e 16, numa estrutura montada na sede da Prefeitura do Prado. Os atendimentos contaram com os serviços de uma equipe formada por oftalmologistas e técnicos de enfermagem.

Distribuição de colírios e medicamentos, além da realização de exames para medir a pressão ocular e avaliação do fundo do olho, estavam na lista de procedimentos do Mutirão do Glaucoma, realizado pela Prefeitura de Prado, em parceria com o Ministério da Saúde (MS).

O Programa Glaucoma atende as pessoas com mais de 40 anos, portadores ou com histórico familiar da doença ou, ainda, com suspeita em avaliações anteriores.

Fábio da Silva Correia (biomédico e farmacêutico do ISOB – Instituto de Saúde Oftalmológica do Brasil)

Segundo o biomédico e farmacêutico do ISOB (Instituto de Saúde Oftalmológica do Brasil), Fábio da Silva Correia, “a doença representa grande risco de cegueira, por ser silenciosa, sem sintomas, motivo pelo qual, o paciente acaba procurando um especialista, apenas quando o glaucoma se encontra em estágio avançado”, explica.

Ao centro, Luiz Dupin (Secretário de Saúde de Prado)

De acordo com o Secretário Municipal de Saúde, Luiz Dupin, “cerca de 150 pessoas foram atendidas em cada dia, totalizando o número de 300 usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), com acesso à consulta, diagnóstico e, no caso de confirmação do glaucoma, encaminhamento para a realização de cirurgia nos olhos”, disse.

O GLAUCOMA: é uma doença que atinge o nervo óptico e, muitas vezes, não apresenta sintomas visíveis ao paciente. A doença, que começa com a perda da visão periférica, pode provocar cegueira irreversível. Apesar de não ter cura, a perda visual provocada pelo glaucoma pode ser prevenida, atrasada ou estabilizada através do tratamento, realizado com uso de medicamentos como colírios, como é oferecido por meio do mutirão.

 

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário

- VOCÊ REPÓRTER - Envie fotos, vídeos e informações sobre o que você viu.
Whatsapp (73) 99989-6889 | Email: primeirojornal@hotmail.com