O Projeto de Agricultura Comunitária, desenvolvido pela Suzano na Unidade Mucuri, acaba de conquistar um importante reconhecimento: o Prêmio Transformadores, conferido durante o XI Fórum Internacional da RedeAmérica, realizado em Salvador (BA), nos dias 21 e 22 de março. Esta é a quarta edição da premiação, conhecida como Prêmio Latinoamericano de Comunidades Sustentáveis. A premiação na qual a Suzano foi uma das vencedoras recebeu mais de 92 trabalhos de 13 países, com diversas experiências de empresas, fundações e institutos.

O Prêmio contou com duas categorias: “Negócios e Comunidades Sustentáveis” e “Investimento Social Privado e Comunidades Sustentáveis”. O projeto da Suzano foi contemplado na primeira categoria, tendo sido escolhido por um grupo de jurados de oito países latino-americanos, composto por líderes, consultores, docentes e gestores de organizações sociais.

A RedeAmérica, que promove a premiação, é uma rede de empresas e fundações que são referência no conhecimento e articulação de práticas e experiências sustentáveis. É formada por mais de 80 organizações empresariais de 14 países da América Latina e Caribe que visam promover comunidades sustentáveis no continente.

André Becher, da área de Desenvolvimento Social da Suzano em Mucuri, destaca que o prêmio é um importante reconhecimento para a companhia por meio do Projeto de Agricultura Comunitária, cujo objetivo é incentivar a formação de campos agrícolas para a geração complementar de renda e para garantir a segurança alimentar nas comunidades rurais. Para isso, a empresa oferece aos participantes do projeto a assistência técnica e a infraestrutura necessárias.

“Nosso intuito é fortalecer a agricultura familiar, fomentando a organização social e comunitária, respeitando as características sociais e culturais das famílias participantes. Assim, buscamos contribuir para a permanência das pessoas nas comunidades rurais, priorizando ações de caráter coletivo”, destaca André.

Projeto Agricultura Comunitária – O projeto conta com três eixos principais: assistência técnica, gestão da organização nas associações e fornecimento de materiais e insumos. Participam diretamente 333 famílias em 13 comunidades de sete municípios da Bahia e do Espírito Santo, organizados em associações comunitárias e pequenas cooperativas de produtores. Em 2018, foram 1.054 toneladas de alimentos produzidos, com R$ 2,2 milhões em geração de renda complementar, possibilitando empoderamento comunitário, inclusão social e econômica das famílias e fortalecimento das associações locais.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário

- VOCÊ REPÓRTER - Envie fotos, vídeos e informações sobre o que você viu.
Whatsapp (73) 99989-6889 | Email: primeirojornal@hotmail.com