Os números de suicídios são maiores entre a população indígena brasileira. Segundo um artigo de 2017, 30 pessoas por dia se suicidam no Brasil sendo dentro desse número morre em maior quantidade os idosos e os índios. Além desses dois grupos, no qual neste artigo vamos focar na população indígena, o suicídio é maior entre os homens, sendo mais de 70%. Para o Ministério da Saúde esta já é uma questão epidemiológica, segundo um boletim publicado oficialmente no seu site. Ou seja, é uma questão que precisa de cuidado urgente pois está está em crescimento.

Os fatores que levam aos números de suicídios entre os indígenas serem maiores do que no resto da população são: a questão territorial, no qual a população não tem tanto espaço para desenvolver a sua vida como um todo (vale ressaltar que a base da vida indígena é a agricultura), a dependência de drogas, principalmente de álcool, a dificuldade de viver com a tradição e com a sociedade moderna e ocidentalizada, a marginalização e a falta de comunicação com a comunidade indígena brasileira, menos oportunidades dentro da sociedade brasileira e a falta de assistencialismo do governo.

Ou seja, desde o surgimento do Brasil, a sociedade indígena brasileira vem sendo negligenciada e ignorada tanto pela maioria da sociedade como também pelo governo. Segundo dados oficiais em 1500 quando o Brasil foi descoberto, o Brasil era 100% composto por população indígena, agora menos de 1% da população brasileira é composta por índios.  Não há muita discussão ou inclusão desta população, a qual está a mercê de situações de total descuido. Entre os indígenas, as etnias que mais se suicidam são: Guarani Kaiowá do Mato Grosso do Sul, Ticuna da Amazônias e Carajás do Tocantins.

Esses povos sofrem muito com a questão do território, em um documentário, os índios Guarani Kaiowá afirmam que se sentem como um incômodo dentro da sociedade brasileira, sendo que não há lugar para eles viverem em paz. Esta pressão é sentida muito mais pelos homens que por uma questão histórica e cultural deveriam prover a terra. Este sentimento de não ter terra traz uma falta de perspectiva de vida, gerando um enorme sofrimento.

Para diminuir esses números duas ações estão a ser desenvolvidas, uma delas é a expansão dos Caps (Centro de Atenção Psicossocial) e parceria com os CVV (Centro de Valorização à Vida). O governo quer abrir mais Caps em regiões distantes na qual essas etnias indígenas vivem e também trazer mais campanhas de conscientização contra o suicídio se unindo ao CVV. O Brasil tem um órgão governamental que é responsável sobre todas as questões que envolvem a população indígena no Brasil, a FUNAI. O Funai está hoje sobre o cuidado da Ministra Damaris Alves, a qual prometeu trazer a maior valorização da população indígena. Para se informar sobre as questões indígenas no Brasil acesse o site oficial da Funai.

Essa questão não é exclusiva do Brasil, pois também as populações indígenas do Canadá, por exemplo, apresentam altos índices de suicídio, o que aponta ainda mais para que isso seja uma consequência das pressões sociais, ambientais e territoriais que essas comunidades sentem como parte de países ocidentais modernos. E caberá a essas sociedades encontrar soluções e respostas que ajudem essas populações.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário

- VOCÊ REPÓRTER - Envie fotos, vídeos e informações sobre o que você viu.
Whatsapp (73) 99989-6889 | Email: primeirojornal@hotmail.com