Quando o Estado Democrático de Direito deixa de cumprir suas funções principais, a população começa a fazer justiça com as próprias mãos, como aqueles da história mais antiga da humanidade, da época da aplicação da ‘lei do olho por olho e dente por dente’, a chamada Lei de Talião, rigorosa execução do crime e da pena.

 

No final da tarde desta terça-feira, dia 05, um dos integrantes da Associação dos Mototaxistas de Itamaraju (AMI) teve a sua residência arrombada e furtados vários aparelhos eletroeletrônicos. A burocracia é sempre apontada por integrantes das polícias civil e militar como impedimento para investigar e capturar muitos acusados de crime, “porque a lei só permite adentrar às residências das pessoas com mandados da justiça”, então, muito pouco fazem, senão, em casos que envolvem autoridades de alto escalão dos três poderes (judiciário, legislativo ou administração) ou os próprios integrantes das forças policiais.

Inconformados, cerca de cem mototaxistas começaram a investigar o caso. Em menos de meia hora, depois de procurar as autoridades, o grupo descobriu quem tinha entrado na residência e onde estavam escondidos.

Como se agentes de segurança fossem, os mototaxistas mostraram respeito à lei, montando campana em volta da residência onde o acusado estava escondido, aguardando o dia amanhecer, em cumprimento ao princípio de inviolabilidade do lar (inciso XI do artigo 5º da Constituição Federal Brasileira). Ao surgir os primeiros raios de luz, o principal suspeito estava acuado. Restou à polícia, aparecer para dar voz de prisão e conduzir o bandido para a carceragem, porque o crime estava investigado, o principal suspeito capturado e os aparelhos recuperados, numa ação rápida e eficiente dos mototaxistas.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário