A votação aconteceu nesta quarta-feira, dia 19, na sessão legislativa ordinária da Câmara Municipal de Vereadores de Nova Viçosa.

Apenas uma chapa se formou para coordenar a Mesa Diretora, durante o biênio 2019/2020.

O atual presidente, José Anastácio Carvalho Machado (DEM), ao lado de Djalma Evandro da Silva Pereira (PTN – vice-presidente), Morzart Pereira de Souza Junior (DEM – primeiro secretário), Ivaneide Dutra Neves (‘Nei da Geladeira’ – PSDB, como segundo secretário) garantiram os votos para ser pronunciada vencedora.

O trabalho no primeiro biênio consagrou José Anastácio como nome para comandar a presidência do Poder Legislativo de Nova Viçosa. Força política e aprovação do seu modelo de gestão – tanto pela população, quando pela maioria dos vereadores.

ESTILO DE MANDATO – Pulso firme, que lhe é característico, como presidente, só no ano de 2017, Anastácio devolveu cerca R$ 180 mil reais à prefeitura, condicionados à compra de uma ambulância Semi-UTI, já entregue aos moradores. Em 2018, o dinheiro devolvido está custeando a reforma do estádio em Nova Viçosa e melhorias no gramado.

DUAS VITÓRIAS – Dos 10 vereadores presentes, apenas 01 votou contra e 09 mantiveram-se favoráveis à eleição da única chapa registrada. Para alcançar a possibilidade de reeleição o presidente travou, nos últimos 05 meses uma intensa articulação, já que a Lei Orgânica do município não permitia tal ato. Atendendo ao Regimento Interno, somente no segundo semestre do segundo ano do mandato o presidente poderia apresentar emenda à Lei Orgânica do município objetivando restabelecer o estatuto da reeleição, proibida por alteração anterior.

Apresentada a emenda modificativa à Lei Orgânica Municipal Nº 033/2018, seu Artigo 31 passou a ter a seguinte redação: “A Mesa da Câmara Municipal será composta de: Presidente, Vice-Presidente, 1º (primeiro) Secretário e 2º (segundo) Secretário, eleitos para mandato de 02 (dois) anos, permitida a recondução para o mesmo cargo, na eleição imediatamente subsequente”. Com votação em dois turnos, a tramitação da emenda que admite a reeleição foi motivo de atritos, já que os vereadores Joaquim Souza e José Aloísio foram contrários, portanto, votos vencidos.

CENÁRIO DIFÍCIL – No contexto político de Nova Viçosa, o fato do vereador José Anastácio ter sido eleito na coligação que “fez” o prefeito Manoel Costa Almeida (Maneolzinho – DEM), e compor a base do prefeito na Câmara, o presidente poderia ter sua intenção de reeleição prejudicada. A razão seria o desgaste pelo qual o prefeito passa nesse momento. Dificuldade de honrar alguns compromissos financeiros e até atraso de pagamento de salários de parte dos servidores que, segundo a gestão, vem sendo provocados pelo encolhimento da receita do município.

Favorável à reeleição, o vereador Edimilson Figueiredo – PPS, disse que “pela primeira vez nos últimos anos essa casa de leis faz devoluções à prefeitura e a população sabe para onde o dinheiro está sendo gasto”, disse.

Reeleito, José Anastácio agradeceu aos vereadores e ao público que compareceu à sessão solene e atribuiu a sua reeleição à forma igualitária em que tratou todos os edis. “Me candidatei à reeleição porque sei que o cargo de Presidente da Câmara tem poderes que, se usados para o bem, podem resultar em melhorias para a vida dos munícipes. Minha reeleição se deu pela forma em que tratei cada vereador. Todos eles têm a mesma importância, foram eleitos pelo povo e sei que mesmo os que não me apoiaram, querem o bem do município”, disse.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário