Nova turma de aprendizes será iniciada no dia 19 de novembro e será voltada para Operação de Máquina Agrícola

Na próxima terça-feira, dia 13 de novembro, um grupo de 20 jovens de comunidades vizinhas às áreas de atuação da Fibria, no sul da Bahia, terá sua formatura no curso de aprendizes de Operação de Máquinas Florestais. A capacitação foi oferecida por meio de uma parceria entre a Fibria e o Serviço Nacional da Indústria (Senai-BA) e preparou os participantes para atuar no mercado de trabalho do setor florestal, segmento representativo na economia da região.

O curso envolveu 20 jovens com idade entre 18 e 23 anos, sendo 15 homens e cinco mulheres, residentes nas comunidades de Aparaju, Juerana, Helvécia, Cândido Mariano (Km 87) e seus entornos localizados no eixo da BR 418, que liga Posto da Mata a Caravelas. O programa foi iniciado em outubro do ano passado e somou 1.240 horas de treinamento, sendo 620 horas de aulas teóricas no Senai e 620 horas de atividades práticas nas frentes de colheita da Fibria, no sul da Bahia.

A capacitação foi focada na operação de dois modelos de máquinas usadas nas atividades florestais: o Harvester, que colhe e processa a árvore em troncos de acordo com as especificações necessárias, e o Forwarder, que empilha a madeira colhida e a deixa em local adequado para ser transportada. Esta foi a quarta edição do Programa de Aprendizes na Bahia.

Nova turma: Um novo programa de formação Jovem Aprendiz será iniciado pela Fibria e pelo Senai-BA no dia 19 de novembro. Desta vez, o curso será voltado para a Aprendizagem Industrial Básica em Operação de Máquina Agrícola, com foco na Silvicultura. Participarão do novo curso 20 jovens de 18 a 23 anos, moradores da região conhecida como Picadão da Bahia, abrangendo as comunidades de Oliveira Costa, Costa Dourada, Rio do Sul, Camaruji, Cruzelândia, Nova Brasília e seus entornos.

O curso será gratuito e terá duração prevista de 10 meses, com aulas teóricas e práticas, assim como os anteriores. Durante a sua realização, os participantes recebem bolsa correspondente ao salário mínimo proporcional a seis horas diárias de atividades. Também contam com alimentação, transporte, plano de saúde e seguro de vida. Ao final da qualificação, todos receberão certificado emitido pelo Senai.

Os participantes aprenderão a operar trator, que é o veículo utilizado na silvicultura, e realizar atividades como preparo do solo, plantio, adubação, acompanhamento do desenvolvimento da floresta, além de noções básicas de hidráulica, elétrica e mecânica diesel; saúde e segurança do trabalho; meio ambiente; conduta profissional; informática básica.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário