O encontro aconteceu na Câmara de Vereadores de Nova Viçosa com representantes da Fíbria Papel e Celulose para discutir estudos, gráficos e imagens sobre o local de aparecimento da lama.

A lama se tornou um problema de grandes proporções em Nova Viçosa e afeta as principais atividades econômicas do município. A Fíbria Celulose afirma não ser a causadora do problema, sustentando o contexto histórico da turbidez das águas e informações de cunho socioambiental.

Uma das hipóteses do aumento da lama nas praias novaviçosenses teria ocorrido com o descarte de material, resultante da dragagem do Canal do Rio do Tomba, no município de Caravelas, para possibilitar o transbordo do eucalipto para barcaças.

Num ponto, todos concordaram. “Não basta apenas identificar a origem do problema. Precisamos nos unir para encontrar uma solução”, é o que disse João Augusti (Gerente de Meio Ambiente da Fíbria Celulose).

Para o Secretário de Meio Ambiente de Nova Viçosa, Geovane Rosal, “é necessária uma ação conjunta para minimizar os impactos da lama no município”, afirmou.

João Carlos Augusti, Pedro Torres, Rodrigo Araújo e Engilbert Felipe representaram a Fíbria Celulose. Renato Lage, Edimilson Figueiredo, João Farias, o Secretário de Meio Ambiente de Nova Viçosa Geovane Rosal, e o Presidente da Câmara de Vereadores, José Anastácio Carvalho (conhecido como Anastácio), representaram o município de Nova Viçosa.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário