A OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) seção Bahia promoveu um ato de desagravo em frente a unidade policial da 7a Coorpin da cidade de Ilhéus. Por meio de nota, a seção da OAB relatou os motivos. A mobilização resultou na disponibilização de uma sala dentro da unidade de polícia para que os advogados atendam os seus clientes.

Veja a nota: “Na noite do dia 06 de abril de 2018, nas dependências da 7ª COORPIN, a Advocacia teve suas prerrogativas violadas, inicialmente, quando, deliberadamente, Dr. REINALDO WEBER, teve cerceado o seu direito de conversar, reservadamente, com sua cliente, que havia sido presa em flagrante delito.

O advogado, apesar de apresentar sua identificação profissional, também foi impedido de adentrar as serventias cartorárias da delegacia, onde foi realizado o interrogatório de sua cliente. Durante o tempo em que permaneceram na delegacia, os advogados sofreram diversas tentativas de intimidação. Mesmo com a presença dos representantes da OAB-BA, regularmente identificados, o acesso às dependências superiores da Delegacia permaneceu bloqueado. Diante do impasse, após uma discussão acalorada, com ânimos exaltados, alguns dos policiais chegaram ao ponto de fechar a porta de saída da delegacia, sacar suas armas e apontar para os advogados presentes, sofrendo, portanto, grave e preocupante violação das suas prerrogativas profissionais no exercício do seu múnus, pois foram impedidos de atuar com a liberdade e a independência que lhe são asseguradas pela Lei e pela Constituição Federal da República do Brasil.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário