A importância da doula para tornar o parto mais humanizado

Hoje iremos falar de um assunto muito importante, é um assunto que hoje está sendo muito comentado, todos querendo saber, procurando se informar; ai vem a pergunta:

O que é uma doula?

-- Continua depois da publicidade --Embasa

A palavra Doula vem do grego e significa “ mulher que serve” sendo hoje utilizada para referir-se à mulher sem experiência técnica na área da saúde, que orienta e assiste a nova mãe no parto e nos cuidados com o bebê. Seu papel e oferecer conforto, encorajamento, tranquilidade, suporte emocional, físico e informativo durante o período de intensas transformações que esta vivenciando.

Antigamente o nascimento humanao era marcado pela presença experiente das mulheres da família: irmãs mais velhas, tias, mães e avos acompanhavam, instruíam e apoiavam a parturiente e recém mãe antes durante todo o trabalho de parto, o próprio parto e os cuidados.

Atualmente os partos acontecem em ambientes hospitalar e rodeados por especialistas: o médico obstétrica, a enfermeira, o pediatra… cada qual com sua especialidade e preocupação técnica pertinente; sendo assim: (você precisa de uma doula?) Não, você merece uma doula.

O cuidado com o bem estar emocional da parturiente acabou ficando perdido em meio ao ambiente impessoal dos hospitais, tendo a aumentar o medo, a dor e a ansiedade daquela que está dando a luz e conseguentemente aumentando as complicações obstrétricas e necessidades de maiores intervenções.

A doula veio justamente para preencher esta lacuna, suprindo a demanda de emoção e afeto neste momento de intensa importância e vulnerabilidade. É o resgate de uma pratica existente antes da institucionalização e medicalização da assistência ao parto, e que passa a ser incentivada agora com respaldo cientifico. E os resultados deste apoio vem trazendo revelações surpreendentes na redução das intervenções e complicações obstrétricas, bem como facilitando o vinculo entre mãe e bebe no pós- parto.

O que a Doula faz?
Oferece suporte emocional através da presença continua ao lado da parturiente, provendo encorajamento e tranquilidade, oferecendo carinho, palavras de reafirmação e apoio. Favorecer a manutenção de um ambiente tranquilo e acolhedor, com silencio e privacidade.

Oferecendo medidas de conforto físico através de massagens, relaxamentos, técnicas de respiração, banhos e sugestão de posições e movimentações que auxiliem o processo do trabalho de parto e diminuição da dor e desconforto.

O suporte que a doula dar no momento do parto é totalmente diferente do suporte do marido, do suporte que o Enfermeiro ou medico obstétrico dar.

A doula atua principalmente no alivio da dó, usando recursos não farmacológicos, fazendo massagens, usa a aromaterapia para alguns sintomas tem o rebozo, que é o tecido que ajuda bastante até mesmo no encaixe do bebe.

A doula se faz importante até mesmo num parto cessaria, onde continua dando apoio, conforto e ajudando a mulher relaxar e tranquilizar-se durante a cirurgia.

Pode estar presente no pós-parto, fazendo uma visita, e não como apenas mais uma visita, mas sim como alguém para ajudar a mamãe com a amamentação e duvidas em geral.

O que a Doula não faz?
Não realiza qualquer procedimento médico ou clinico como aferir pressão, toques vaginais, monitoração de batimentos cardíacos fetais, administração de batimentos.

  • Não substitui qualquer dos profissionais tradicionalmente envolvidos na assistência ao parto.
  • Não substitui o acompanhante escolhido pela parturiente. Nesse caso a doula orienta o pai ou acompanhante a ter uma participação mais ativa no processo, sugerindo formas de prestar apoio e dar conforto a mulher.

Ministério da saúde recomenda o suporte da Doula
“O apoio da doula, além de melhorar a vivencia experimentada pelas mulheres que dão a luz, parecem ter uma influencia direita e positiva sobre a saúde das mulheres e dos recém-nascidos. Devem, portanto, ser estimuladas em todas as situações possíveis.”

“o acompanhamento da parturiente pela doula reduz a duração do trabalho de parto, o uso de medicações para alivio da dor e número de partos operatórios. Alguns estudos também mostram a redução do número de cesárias.

Também é observado que os grupos de parturientes acompanhadas durante o parto pela doula têm menos depressão pós-parto e amamentam seus recém- nascidos nas primeiras seis semanas de vida em maior proporção que as parturientes dos grupos de controle.”

Referências Bibliográficas:

  1. Apostila do Curso de doulas: Associação Nacional de Doulas
  2. Gaph – Doulas Dourados – MS
  3. Parto, Aborto e puerpério – Assistência Humanizada à mulher, 2001

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário