Neste mês de Setembro acontece na galeria de artes Mira Forum no Porto, no norte de Portugal, “Uma Imagem Solidária”, que consiste na entrega de um donativo aos bombeiros em troca de imagens captadas pelas lentes de fotojornalistas e fotógrafos profissionais.

O fotógrafo Bruno Saavedra (nascido em Itamaraju/Bahia e vivendo em Portugal desde 2004) é um dos nomes participando dessa iniciativa, que já aconteceu no último mês de Julho no Museu das Telecomunicações em Lisboa, onde participaram mais de 200 fotojornalistas e fotógrafos, conseguindo arrecadar a quantia de 5.286.00€ (cerca de R$19.852,00).

Bruno Saavedra na edição de Lisboa, participou com uma imagem tirada em Piragi (localizado na zona rural do município de Itamaraju). Já no Porto, o itamarajuense, participa com uma imagem que tirou em uma casa abandonada na Lagoa de Santo André, na zona Alentejana de Portugal.

Foto de Piraji participou da edição de de Lisboa, em Portugal

Para a edição do Porto já foram selecionadas mais de 240 imagens captadas por fotojornalistas e fotógrafos que podem ser vistas e trocadas por donativos, por um valor mínimo de 20 euros (cerca de R$ 75,00).

O que começou por ser uma ação de fotojornalistas, sob o lema “o melhor de cada um de nós para o melhor de todos nós”, estendeu-se a outros profissionais da fotografia, “mobilizando a participação de muitos. Nesta altura de solidariedade não deve haver barreiras entre fotógrafos com e sem carteira de jornalista. Deve haver união”, contou António Cotrim (idealizador do projeto e fotojornalista da agência Lusa).

Imagem de uma casa abandonada participando da edição em Lagoa de Santo André, em Portugal

As imagens – de tema livre – serão impressas no formato 30x40cm. Algumas fotografias, adiantou António Cotrim, chegaram de Macau, da China, da Alemanha, da França e do Brasil.

Na página da iniciativa (nas redes sociais Facebook e Instagram) já foram divulgadas as imagens que estarão disponíveis para venda por um valor mínimo “simbólico”, que não paga o trabalho de quem fotografou, mas proporciona o encontro do maior número de participantes.

A MOTIVAÇÃO: Dois grandes incêndios começaram no dia 17 de Junho em Pedrógão Grande e Góis, tendo o primeiro provocado 64 mortos e mais de 200 feridos. Foram extintos uma semana depois. Estes fogos terão afectado aproximadamente 500 habitações, 169 de primeira habitação, 205 de segunda e 117 já devolutas. Quase 50 empresas foram também afectadas, assim como os empregos de 372 pessoas.

Os prejuízos diretos dos incêndios ascendem a 193,3 milhões de euros, estimando-se em 303,5 milhões o investimento em medidas de prevenção e relançamento da economia.

O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário