Por volta das 11h00min da manhã, desta quinta-feira (03/12), alguns detentos da Delegacia de Polícia Civil de Prado tentaram liderar a realização de um motim e quebra-quebra às celas de detenção. O motim e a destruição, de toda a estrutura carcerária de Prado, conforme anunciado, se iniciariam após a visitação, o que aconteceria nesta tarde.


Os agentes carcerários chegaram a tentar acalmar os ânimos dos detentos que ameaçavam a todo instante pôr em prática a ação de destruição e amotinação. Mesmo diante dos esforços, os detentos (Gerenaldo Moreira Fidélis, Fabrício Alomba, Walace da Silva Fernandes, Magno Pereira e Nilton Oliveira dos Santos) se mostraram intransigentes.

Segundo os agentes carcerários de Prado, os líderes do motim já há muito, vinham demonstrando caráter destemido, ousado e desafiador, além de apresentarem comportamento desrespeitoso para com eles.

O detetive da Polícia Civil em Prado, Raimundo Cleber, notificou o Ministério Público, a Justiça Criminal de Prado, o comando da 43ª CIPM (Companhia Independente de Polícia Militar de Itamaraju), a 8ª Coorpin e o Delegado Robson Marossi (delegado substituto em Prado) sobre o incidente.

Policiais militares do 4º Pelotão de Polícia Militar de Prado foram direcionados para auxiliarem à contenção dos presos, o que acabou acontecendo com êxito, já que não houve a necessidade de uso da força e os detentos foram impelidos à desistirem da ação planejada.

A motivação para o comportamento hostil dos detentos teria sido uma ação executada, por volta das 06h00min, sob a coordenação do investigador Cleber, que realizou uma operação de varredura e revista nas celas de detenção, conseguindo descobrir um celular (marca Morotola, modelo V3, cor preto) dentro da cela 3, onde se encontravam detidos: Magno Pereira, Gerenaldo Moreira Fidélis, Fabrício Alomba, Fábio Matos de Jesus, Sidney Cardoso dos Santos, Francisco da Silva Santos, Eduardo Santos de Jesus, Irineu da Silva Leite e Wanderson Santos de Jesus. Também a revista aos visitantes foi intensificada. A soma destes fatores teria deixado os detentos insatisfeitos.

A Justiça Criminal de Prado, através do Exmo. Juiz da Comarca de Prado – Dr. Rogério Barbosa de Souza e Silva, intercedeu e determinou a imediata transferência dos cinco detentos para o Presídio de Teixeira de Freitas, o que acabou acontecendo, ainda no início da tarde desta quinta-feira.


O que você achou desse assunto? Deixa aqui seu comentário

- VOCÊ REPÓRTER - Envie fotos, vídeos e informações sobre o que você viu.
Whatsapp (73) 99989-6889 | Email: primeirojornal@hotmail.com